10 de mai de 2012

TRANSPOSIÇÃO - Sintero lança “Dia Estadual de Paralisação” do serviço público e de manifestações na BR 364.


Dia 23 de maio será o “dia estadual de paralisação do serviço público em Rondônia e dia de protestos pela transposição”. A campanha foi lançada nesta semana pelo Sintero para exigir do governo federal a imediata publicação da instrução normativa e o início da transferência dos servidores para a folha da União.

A mobilização, que teve início no Sintero, já conta com o apoio do Sinsepol, do Sindsaúde e de outros sindicatos. Os sindicatos estão fazendo uma convocação geral para que os servidores públicos estaduais paralisem todas as atividades no dia 23 de maio, e participem dos atos de protesto que estão sendo organizados em todos os municípios.

Além da paralisação do serviço público nos vários setores do governo estadual, os servidores estão sendo convocados para manifestações públicas em vários pontos da BR 364, de Vilhena a Porto Velho.

Para a realização dos atos de protesto, os municípios mais centrais da BR 364 receberão caravanas dos municípios menores.

De acordo com o presidente do Sintero, Manoel Rodrigues, os servidores já esperaram demais pelo cumprimento da Emenda Constitucional nº 60, da Lei 12.249 e do Decreto 7.714, que garante aos servidores contratados até 1991 o direito.

Manoel adiantou que se as manifestações do dia 23 não derem o resultado esperado, o Sintero vai organizar caravanas a Brasília no período de 28 a 30 de maio com servidores preparados para montar acampamentos em frente ao Palácio do Planalto, Congresso Nacional e Ministério do Planejamento.

O sindicalista também destacou que, embora o ato tenha sido uma iniciativa do Sintero junto com o Sinsepol e Sindsaúde, serão convocados os servidores de todas as secretarias. Para isso o Sintero já está mantendo contato com os sindicatos dessas categorias e já iniciou uma campanha estadual com 5 mil cartazes.

Para o presidente do Sintero, não há motivo nem sentido em tanta demora na publicação da Instrução Normativa e na transferência dos servidores para a União. “Os servidores já tiveram paciência demais. Não podemos ficar à mercê da boa vontade de Brasília. Vamos mostrar a força do povo de Rondônia e exigir o cumprimento da Constituição Federal e da Lei”, finalizou.






Nenhum comentário: