29 de mar de 2010

Trabalhadores em educação ocupam a Assembléia Legislativa e prometem só deixar o prédio após um entendimento sobre a greve

Trabalhadores em educação ocupam a Assembléia Legislativa e prometem só deixar o prédio após um entendimento sobre a greve



Na tarde desta segunda-feira, 29/03, os trabalhadores em educação ocuparam a galeria e os corredores da Assembléia Legislativa, onde prometem permanecer até que haja uma negociação com o governo.
Enquanto aguardam uma negociação com o governo, em cumprimento da decisão do Tribunal de Justiça, os trabalhadores em educação promovem atos públicos e diversos tipos de manifestações em todo o Estado.
Em Porto Velho a categoria montou acampamento em frente à Assembléia Legislativa.
Na tarde desta segunda-feira, 29/03, os trabalhadores em educação ocuparam a galeria e os corredores da Assembléia Legislativa, onde prometem permanecer até que haja uma negociação com o governo.
Até agora o governo não dialogou com a categoria, limitando-se a impor um reajuste de 4,5% e uma gratificação de R$ 200 para alguns professores.
O Sintero cobra, entre outros itens, a reposição das perdas salariais, que só no atual governo ultrapassam 25%. Segundo o comando de greve, a categoria aceita negociar as reivindicações, desde que não haja discriminação dos demais professores e dos técnicos administrativos educacionais.
A direção do Sintero chegou a apresentar uma contraproposta de gratificação, mas até o momento não recebeu qualquer resposta oficial por parte do governo.
Os trabalhadores em educação também cobram um posicionamento da comissão de deputados criada na Assembléia Legislativa para intermediar uma negociação com o governo.
Os manifestantes estão preparados para permanecerem no interior da Assembléia Legislativa por tempo indeterminado.

Nenhum comentário: