6 de nov de 2014

PARA ENTENDER OS PORQUÊS

São quatro os porquês e podemos, para lembrar, organizá-los em duas duplas.

Uma dupla de “separados”: por que e por quê.

Uma dupla de “grudados”: porque e o porquê.

Memorizados quais são os porquês, vamos, na ordem, entender quando precisamos usar cada um deles. Comecemos do mais difícil, que nem é tão difícil, os outros são moleza.
1)      O “separado e sem acento”: por que. Ele tem três usos:

Para iniciar frase interrogativa. Sempre que estiver iniciando uma pergunta, faça com o “por que”;

Quando puder ser substituído por “por qual razão/ por qual motivo”;

Quando puder ser substituído por “pelo qual” ou suas flexões (pela qual, pelos quais, pelas quais).

2) O separado e com acento: por quê. Esse é barbadinha. Esse incide no final da frase, antes de ponto. É o porquê que todas as mães usam quando estão bravas.
Alfredo Alberto da Silva Júnior, o senhor ainda não foi para o banho por quÊÊÊÊÊ? Por quÊÊÊ?

3) O “grudado e sem acento”: porque. Esse é explicativo, é o que mais usamos. É o porquê das frases para as namoradas (tadinhos dos meninos ^^). Sempre que pudermos substituir por “pois” ou por “uma vez que”, por exemplo, é ele. Substitui, aí, para testar, na frase a seguir:
Eu ainda não havia ligado porque estava sem bateria.

4) O “grudado e com acento” vai vir sempre com o artigo. O porquê, um porquê. Ele funciona como substantivo. Ó:

Não entendo o porquê de ela ter jogado a gramática nele.
(Que exemplo revoltado…: P)

Eu também não sei, ela não me deu um porquê.

Então, era isso por hoje. Depois de entender a diferença, memorizar a imagem é o suficiente. Você nunca mais vai errar.

Fonte;http://revisaoparaque.com/blog/para-entender-os-porques/

Nenhum comentário: